Conheça a traça que come papel

Construsul Desentupidora Porto Alegre 24 Horas: Conheça a traça que come papel – As traças dos livros, Silverfish, que quer dize peixe prateado é a espécie de traça dos livros mais comum no ambiente urbano. É um dos mais primitivos grupos de insetos vivos. 

Traças dos livros como o próprio nome diz, adoram comer papel sendo esse substrato uma das principais fontes alimento. A melhor dica para se combater a traça dos livros é conhecendo seus hábitos e biologia. O inseto, traça dos livros, antigamente eram conhecidos por Thynasura e, hoje em dia, passaram a ter a nova classificação de Zygentona. Essa ordem caracteriza-se por três longos apêndices caudais, como “rabos”, projetando-se desde o final do abdome.

As traças dos livros possuem aparelho bucal mastigador, longas antenas, morfologia corporal achatada e são cobertos por escamas. “Os danos causados por traças dos livros e sinais de infestação podem ser descritos como pequenos desgastes irregulares, fruto da alimentação periférica em papéis, manchas amarelas e fezes. Não há relatos das traças dos livros serem vetores de doenças”.

As traças dos livros alimentam-se de quase tudo que é rico em proteínas, farinhas de trigo, papéis, livros, etc., sendo de grande prejuízo para depósitos, residências e bibliotecas. Destroem cortinas, tecidos de algodão, mas rejeitam a seda artificial e a lã.

Veja onde algumas espécies de traças dos livros são encontradas

Em locais úmidos;
Debaixo das pedras;
Entre folhas mortas;
No solo;
Nas cascas de árvores;
Em madeiras apodrecidas;
Em ninhos de formigas e cupins.

As traças dos livros possuem hábitos noturnos. Outras espécies são cosmopolitas (se espalham pela maior parte do globo terrestre) e vivem no interior das habitações humanas escondendo-se durante o dia atrás de livros, quadros, frestas, etc., evitando contato direto com a luz. Nesse caso, vão se alimentar do que encontrarem, como cola dos livros, de papel de parede e de tudo que contenha amido. Possuem pernas adaptadas para correr e, em caso de perderem alguma perna, a regeneração logo acontece.

Traça dos livros (Silverfish): Lepisma saccharina

As traças dos livros são insetos da Família Lepismatidae. O fóssil mais antigo deste inseto que se conhece, descoberto no Canadá, é um Tysanura que viveu há 390 milhoes de anos. Deduz-se então que as traças dos livros permenceram inalterados por milhares de anos. É bem provável que algumas espécies destes insetos estiveram presentes quando os dinossauros viviam na terra. As traças dos livros são achados em quase toda a parte do mundo.

São também conhecidos como traças prateadas, ou em inglês, silverfish (peixe de prata), porque seu aspecto se parece com o de um peixe e possuem escamas de reflexos amarelo-prateados que se desprendem quando tocadas. Algumas espécies não possuem escamas, mas em outras elas são abundantes. Medem 12mm de comprimento e não possuem asas.

Os lepimastídeos são achatados, um pouco arredondado no dorso, corpo alongado e com apêndices caudais bem longos e antenas tão longas quanto as caudas. Seu nome origina-se do grego significando tysanus (franja ou fimbria) + oura (cauda), ou seja, em franja e que se abre em três cerdas.

Descrição da traça dos livros Silverfish

Adultos dessa espécie de traças dos livros são ápteros, coloração cinza-prata, cobertos de escamas; Apresenta como característica três longos segmentos no final do abdome (dois cerci e um filamento médio caudal); Tamanho variando de 8 a 13 mm, na forma de torpedo; As ninfas dessas traças dos livros se diferenciam dos adultos apenas pelo tamanho e por até o terceiro ou quarto instar não apresentarem escamas;

Seu aparelho bucal tem morfologia adaptada para raspar papel ou superfícies pré-decompostas por ação fúngica; Possuem hábito noturno, sendo inclusive fotofóbicos; Possuem razoável capacidade de locomoção, correndo facilmente em direção vertical em superfícies plásticas, de alvenaria ou em papel de parede, mas não encontrado a mesma mobilidade em vidro ou porcelana.

São insetos muito dependentes de elevada umidade relativa do ar, pois podem facilmente sofrer desidratação caso permaneçam por algumas horas em locais secos e quentes. A dieta das traças dos livros baseia-se na busca por carboidratos, como papeis (digerem celulose, pois possuem capacidade de produção da enzima celulase), fibras vegetais, como algodão, linho e seda artificial, não tendo predileção por fibras animais, como seda natural e lã.

Essas traças dos livros são também encontradas consumindo: aveia, leite em pó, carne seca, farinha e amido. Na busca por proteínas podem ser canibais, se alimentarem de insetos mortos, cola ou esporos de fungos. Biologia da traça dos livros Silverfish As fêmeas das traças dos livros ovopositam de 1 a 3 ovos por dia em frestas ou sob objetos, apresentando um potencial biótico de 1.500 a 3.500 indivíduos;

Os ovos, para se desenvolverem, necessitam de 22 a 32°C e UR% de 50 a 75%. Possuem tamanho de 1 a 15 mm, sendo brancos lisos e chegando a beges e rugosos próximo a eclosão; A 32°C o período larval é de 19 dias podendo se estender até 43 dias a 22°C.

As ninfas já apresentam os apêndices genitais externos e realizam inúmeras ecdises durante a vida (no mínimo quatro mudas), podendo inclusive regenerar membros como pernas que tenham sido perdidas, não se sabe ao certo quando entram no estágio; O ciclo médio de vida (ovo-adulto) é 90 a 120 dias a 27°C e a longevidade dos adultos pode chegar a 3,5 anos a 27°C, dois anos a 29°C e 15 anos a 32°C.

Habitat da traça dos livros Silverfish

Frestas e fendas são seus ambientes ideais por suas preferências de luminosidade e umidade. Em residências essas traças dos livros podem ser encontradas em praticamente todos os cômodos, além de livrarias, lojas, escritórios, fábricas, sendo mais comuns em estruturas prediais que contenham madeira no piso, rodapé ou forro.

Em processo de busca por novas fonte de alimento a traças dos livros, silverfish, pode caminhar distâncias consideráveis, contudo ao encontrar fonte suficiente em qualidade e quantidade tendem a se fixar. Mesmo assim podem permanecer semanas sem suprimentos de água ou alimento; Normalmente as traças dos livros, são pragas de ambientes internos e estabelecendo em materiais de embalagem, telhados, sótãos, porões, locais com elevada UR% ou de difícil a cesso à limpeza, além de serem raramente encontradas em meios externos.

Conhecendo a traças dos livros (Firebrat): Thermobia domestica

Cada fêmea chega a colocar cerca de 100 ovos com tamanhos de um milímetro em fendas. Eles são brancos, lisos, ovais. Levam um mês para eclodir e necessitam de ambiente úmido. Do ovo sai a ninfa que cresce, sofre várias mudas, no mínimo seis, até que atinja a fase adulta, o que leva aproximadamente 3 meses. Conseguem viver até 4 anos.

Em relação ao seu desenvolvimento, as formas jovens assemelham-se aos adultos, exceto por serem de menor tamanho. Desenvolvem-se diretamente sem que sofram metamorfose. No clima brasileiro o desenvolvimento se completa em aproximadamente um ano.

Descrição da traça dos livros Firebrat

Esse tipo de traças dos livros parecido como o “silverfich”, contudo ligeiramente mais largo. Seu comprimento é de 12 a 13 mm. Não possui aparência metálica, caracterizando-se pela presença de pontuações escuras no abdome. São menos dependentes de UR%.

Biologia da traça dos livros Firebrat

A fêmea oviposita de 1 a 3 ovos (0,8 a 1 mm) em frestas e fendas, sendo uma média de 50 por postura. As condições ambientais mais favoráveis para seu desenvolvimento são: 32 a 41°C e 76 a 85% de UR%. O período de desenvolvimento do ovo a adulto dessa traça dos livros é em média de 2 a 4 meses nas condições acima descritas.

Adultos vivem de 1 a 2,5 anos podendo sofrer até 60 ecdises destacando-se que tal modelo de desenvolvimento é bastante raro e atribuído às suas condições primitivas. Sabe-se que em fêmeas, cada ecdise representa um estímulo para novo ciclo de oviposição.

Habitat da traça dos livros Firebrat

Locais mais quentes e úmidos que os preferidos pela traça dos livros (silverfish) sendo a temperatura o ponto mais crítico para seu desenvolvimento, necessitando de pelo menos 32°C. Em residências as traças dos livros são encontrados em “boilers”; podendo também ser frequentes em padarias, cozinhas e fábricas onde se utiliza vapor.

São comumente observados em dutos de vapor onde exista proteção metálica e em seu interior fibra de vidro, caracterizando ambiente muito favorável ao seu desenvolvimento. Alimentam-se como silverfish, mas podem consumir resíduos de lixo, migalhas, seda, rayon e viscose.

Como é feito o controle das traças dos livros?

Manter a casa sempre limpa e organizada é a forma mais adequada para prevenir e controlar as traças dos livros. É importante deixar claro que o controle químico nem sempre é a melhor escolha, vamos supor que você contrate uma empresa dedetizadora para acabar com as traças dos livros, mas se a principal fonte de proliferação não for eliminada será que a dedetização vai ter o efeito esperado? Acho que não…

Quando falo eliminar a fonte principal estou me referindo as condições no ambiente que favorecem a reprodução do inseto, entendeu agora porque deixar a casa em níveis aceitáveis de limpeza e organização é fundamental para prevenir não somente as traças dos livros, mas também evita a maioria das pragas urbanas. Portanto, pessoal organização e limpeza acima de tudo!!!